Desvios ilegais de água secam a Bica do Ipu

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Não há rastros de água na Bica do Ipu. Imortalizada por ser o local onde se banhava Iracema, da obra de José de Alencar, o local enfrenta uma de suas maiores secas. Em setembro, o município assistiu ao último fio d’água escorrer pelo paredão rochoso de 130 metros de altura. Moradores denunciam que fazendeiros do alto da serra estão represando as águas do riacho Ipuçaba para usá-la 
em suas plantações. 

Além disso, as estações seguidas de estiagem agravaram o problema e interromperam totalmente o fluxo da água que deveria seguir até a bica. Moradores também acusam donos de carros-pipa de se apropriarem da água para vender. A gerente da Área de Preservação Ambiental (APA) da Bica do Ipu, Henriette Silva, confirma que há represamentos ilegais e venda irregular de água.
(Jáder Santana)

0 comments

Postar um comentário

ESCREVA AQUI SEU COMENTÁRIO