POLÍCIA PREVIA INVASÃO DE TORCEDORES

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Comando da Polícia Militar diz que briga generalizada fora do Castelão impediu PMs de estarem no momento da invasão.

A Polícia Militar tinha consciência de que era possível haver uma invasão de torcedores ao gramado da Arena Castelão, na segunda partida da final do Campeonato Cearense.

O caos instalado no Estádio, nesse domingo, 03, que provocou um confronto entre torcedores de Ceará e Fortaleza na decisão do Estadual e virou manchete em vários jornais do Brasil e do mundo, não foi evitado pela Polícia Militar. O motivo, outra briga também dentro do Castelão. 

“Era previsível a invasão dos torcedores, assim como estava em nosso planejamento nossos homens estarem no local para evitar. O que aconteceu foi que houve uma briga generalizada na esplanada (por trás das arquibancadas), com dois policiais feridos e nós pedimos reforços. Os policiais que iriam estar no gramado foram chamados para ajudar e conter essa confusão”, afirmou Aginaldo Silva, comandante do Batalhão de Eventos da Polícia Militar, em entrevista coletiva nesta segunda-feira, na sede Sede da Secretaria de Segurança Público do Estado do Ceará.

Havia 160 policiais dentro do Castelão. 80 iriam fazer a segurança no gramado. 40 ficaram no campo e outros 40 foram impedir a briga na esplanada, o restante estava na área de divisão das torcidas, impedindo também possíveis confrontos.

"Houve um planejamento, mas há coisas que fogem do nosso controle. Nós devemos aprender sempre com situações como essa. O que nós temos que ver é que foi um fato atípico. É bom lembrar que na última quarta-feira houve um público maior e não houve nada", afirmou o secretário de segurança do Estado, Delci Teixeira. 

Para o comando da Polícia Militar, o trabalho realizado na segunda partida da final do Campeonato Cearense foi satisfatório. “Se não chegamos a tempo para conter os torcedores e evitar algo maior como um confronto entre eles, nós estaríamos aqui hoje era contando o número de mortes”, disse Coronel Aginaldo.

0 comments

Postar um comentário

ESCREVA AQUI SEU COMENTÁRIO